Buscar

Logística cresce com auxílio da tecnologia em nuvem

O setor de logística não para de crescer.


O setor não para de crescer. No acumulado de janeiro a setembro/2021, foi gerado um total de 74.765 empregos no setor de transporte, segundo dados da CNT. O maior saldo na criação de empregos formais (+90.483) ocorreu no segmento de transporte rodoviário de cargas (TRC). De acordo com o Índice de Movimentação de Cargas do Brasil, realizado pela AT&M, o país apresentou R$ 3 trilhões em movimentação de carga no primeiro trimestre deste ano, em comparação com os R$ 2,1 trilhões registrados no mesmo período de 2020. Ou seja, um aumento de 38%.


Entre os fatores que vêm alavancando a logística no Brasil, está a transformação digital e a tecnologia em nuvem. Um exemplo é o APP Freto. É na palma da mão, de forma simples e ágil, que o Freto vem conectando caminhoneiros e cargas, muitas vezes em menos de um minuto, com ajuda da tecnologia em nuvem. O ganha-ganha é para todos os lados: menor tempo de espera para o caminhoneiro, rentabilidade e segurança para o transportador e embarcador e crescimento para as empresas de tecnologia em nuvem.


O APP Freto já ultrapassou a marca de 8 bilhões em fretes movimentados. São mais de 3.500 contratações diariamente que transportam 150 mil toneladas de carga. Já são 125 mil caminhoneiros e 300 mil veículos cadastrados no APP.


Segundo o diretor de TI do Freto, Ricardo Morale, a logtech cresceu rapidamente: “Na área de Tecnologia da Informação, nosso grande desafio era segregar toda a parte de tecnologia do Freto, que ainda estava ligada à governança do Grupo (da Ticket), precisávamos de agilidade e ganhos operacionais. Para isso buscamos o suporte tecnológico especializado da :upd8, empresa especializada em migrações complexas”, explica Morale. O spin-off aconteceu a partir de março de 2021.


O Freto migrou todas as suas aplicações, perto de 100 servidores, em 2 meses. “A ação foi fundamental, um acelerador para que pudéssemos mudar o rumo rapidamente. A escolha da cloud também foi certeira. Escolhemos a AWS, estamos alocados na América do Norte”, conta Morale.


O diretor e cofundador da :upd8, Fernando Falaschi, empresa responsável pela migração do Freto, explica que com a pandemia, a tecnologia em nuvem passou a ser fator decisivo para as empresas de transporte aprimorarem os serviços e crescerem de acordo com a demanda. “O setor de logística é um dos que mais tem demandado pela migração em nuvem em busca principalmente de agilidade, segurança e crescimento flexível (sob demanda), além da redução de custos. A estratégia também economiza energia, atendendo às práticas ESG”. Em contrapartida, a demanda pela cloud computing tem contribuído para o crescimento das empresas de tecnologia. “A :upd8 viu seu faturamento crescer 145% nos últimos anos”, destacou Falaschi.


Para os clientes finais do APP Freto (embarcadores e caminhoneiros) a infraestrutura em cloud trouxe benefícios em três pilares: performance, disponibilidade e segurança. “Com 100% das operações em cloud, estamos prontos para crescer exponencialmente em escala e atingir outros mercados”, ressaltou Morale.


Fonte: ABC Repórter