Buscar

Pandemia aumenta movimento de cargas no País



O primeiro quadrimestre de 2021 registrou R$ 3 trilhões em movimentação de cargas no País, sendo que no mesmo período do ano passado foram contabilizados R$ 2,1 trilhões, um aumento de 38%, segundo o relatório "Índice da Movimentação de Cargas do Brasil" desenvolvido pela AT&M. A base de dados do relatório é formada por mais de 25 mil empresas, entre transportadoras, operadores logísticos e embarcadores.


De janeiro a abril deste ano, foram 327 milhões de documentos averbados que representam os pedidos de transportes realizados no período, contra 185 milhões documentos averbados em igual período do ano passado.


Para Thiago Marques, CEO da AT&M, a pandemia da Covid-19 não prejudicou o desempenho do transporte de cargas. Segundo o executivo, o setor que mais contribuiu com os resultados é o e-commerce, que a cada mês conquista dados crescentes de desempenho por conta do novo comportamento do consumidor durante a pandemia.


O relatório também aponta que em 2020 foram registrados R$ 7,5 trilhões em movimentação de cargas, sendo que, em 2019, foram contabilizados R$ 6,8 trilhões, o que representa um acréscimo de 10%. Ao todo, foram 792 milhões de documentos averbados que representam os pedidos de transportes realizados no período.


Marques explica que os valores mencionados se referem a soma de todos os tipos de cargas transportadas em território nacional, como insumos para produção de diversos setores da indústria, produtos acabados, transferências de mercadorias para diferentes localidades, produtos importados, enfim, qualquer tipo de movimentação de cargas nos modais rodoviário, ferroviário e hidroviário. Em 2020, cerca de 52% das movimentações de cargas registraram origem de embarque no estado de São Paulo. Na sequência, estão os estados de Minas Gerais (11,20%) e Rio Grande do Sul (5,16%).


Outro dado que mostra o avanço do setor logístico mesmo durante a pandemia foi o aumento das oportunidades de emprego. O Dia da Logística, comemorado em 6 de junho, ficará marcado pelo aumento de 37% em vagas abertas no setor nos primeiros cinco meses de 2021, segundo levantamento do Banco Nacional de Empregos (BNE). De janeiro a maio, foram 13.544 oportunidades, o que corresponde a uma média mensal de 2.708 vagas. No ano passado, as oportunidades no mesmo período somaram 9.859 - foram 3.685 postos de trabalho a menos neste comparativo.


Essa expansão está relacionada à mudança comportamental dos consumidores após chegada da Covid-19, conforme o CEO do BNE, Marcelo de Abreu. "Vimos um aumento das vagas desde o ano passado. Depois da chegada da pandemia, o consumidor se adaptou ao consumo online, optando por delivery e e-commerce, o que explica o crescimento do número de oportunidades do setor", conta Abreu.


O segmento, inclusive, conseguiu bom desempenho mesmo durante o início da eclosão da pandemia e das restrições sociais mais severas, em abril e maio do ano passado. Ao analisar os primeiros cinco meses de 2019 e de 2020, o aumento foi de 10% na abertura de postos de trabalho. Em 2019, foram 8.666 vagas abertas contra 9.859 em 2020.

De acordo com o levantamento, os meses de janeiro e de fevereiro são os melhores momentos para se buscar oportunidades no setor, indica a avaliação dos últimos três anos. "Janeiro costuma ser um dos melhores meses no ano. Há 77% de aumento da movimentação do mercado de trabalho", comenta Abreu.


Em um cenário de crescimento, algumas profissões se destacam. Os 10 principais cargos mais buscados em logística são motorista, estoquista, operador de empilhadeira, entregador, motorista de caminhão, auxiliar de expedição, auxiliar de almoxarifado, auxiliar de estoque, conferente de estoque e ajudante de carga e descarga.


O dia 6 de junho é considerado uma data especial para a logística devido a um dos principais acontecimentos da Segunda Guerra Mundial. Foi nesta data em que houve o desembarque das forças aliadas na Normandia, que contou com um planejamento de sucesso e foi determinante no desfecho do conflito. O momento é considerado um dos maiores e mais importantes movimentos logísticos do mundo na história.


Fonte: Jornal do Comércio