Buscar

Quais são os desafios da logística no agronegócio?

A logística no agronegócio é complexa e para garantir produtos de qualidade na mesa de milhões de pessoas, os produtores brasileiros enfrentam uma série de desafios


A logística no agronegócio é complexa e para garantir produtos de qualidade na mesa de milhões de pessoas, os produtores brasileiros enfrentam uma série de desafios.


De acordo com as informações divulgadas pela assessoria de imprensa, em 20 anos (2000 a 2020), o agronegócio brasileiro deu saltos de crescimento. Só a produção de grãos teve incremento de 210% no país, enquanto a média mundial ficou em 60%. Além disso, são mais de 350 milhões de hectares de terras produtivas e mais de cinco milhões de propriedades rurais espalhadas pelo país.


“Nesse cenário, a logística no agronegócio é importante aliada para aumentar a capacidade produtiva e tornar o setor ainda mais competitivo. Porém, para reduzir os custos, aumentar a eficiência e elevar a lucratividade, alguns desafios devem ser vencidos”, enfatiza Eliel Fernandes, CEO da Buonny, gerenciadora de riscos especializada em agronegócio.


Entre os principais gargalos enfrentados pelo agronegócio estão:


1. Alta dependência do modal rodoviário, que responde por quase 70% do transporte de mercadorias no Brasil, a custos elevados.


2. Falta de infraestrutura das estradas, que levam a quebras dos caminhões, avarias à carga, atrasos na entrega e insegurança.


3. Roubo de cargas, uma vez que os produtos alimentícios, agrícolas e defensivos químicos estão entre os mais visados pelas quadrilhas que agem nas rodovias brasileiras.


4. Altos custos e carga tributária elevada. As operações logísticas brasileiras estão entre as mais caras do mundo.


5. Sistema multimodal deficitário e dificuldade de acesso a terminas portuários, excesso de burocracia e grandes filas nos períodos de safra.


6. Equívocos na gestão e falhas no planejamento logístico, com poucos investimentos em tecnologia capaz de agilizar o gerenciamento, melhorar o acesso à comunicação e garantir informações estratégicas.


7. Falta de infraestrutura para armazenamento dos produtos. No Brasil, segundo a Companhia Nacional de Abastecimento, a capacidade de armazenamento da produção agrícola é 27% menor do que a produção, o que leva a perdas. O ideal seria ter, no mínimo, uma capacidade de armazenamento 20% maior do que a produção.


8. Desperdício e perdas da produção nas etapas de armazenamento e transporte.


Como superar os gargalos?


Apesar das dificuldades, é possível elevar os padrões de qualidade da gestão logística no agronegócio, por meio de algumas soluções, como:


· Automatização e modernização dos processos.


· Investimento em soluções tecnológicas e softwares integrados de gestão.


· Planos de gerenciamento de riscos focados nas particularidades do agronegócio.


· Monitoramento das cargas e, no caso de produtos refrigerados, controle da temperatura e umidade durante o transporte.


· Sistemas que ofereçam ampla visibilidade das operações, com uso de soluções como a telemetria.


· Atenção diferenciada às cargas especiais e estratégias para reduzir os desperdícios, controlar custos e diminuir os prazos de entrega.


· Cuidados com a armazenagem, embalagens, embarque e desembarque.


“Para garantir tudo isso, a melhor alternativa é apostar em tecnologia, inteligência artificial, profissionais qualificados e parceiros especializados no desenvolvimento de soluções logísticas para o agronegócio”, finaliza Eliel.


Fonte: AgroLink